Leia todas as notícias

Presenças Ilustres no Jantar da Taça Olímpica
Coaracy Nunes, Ciro Delgado e Barbara Heliodora abrilhantam festa tricolor

 

Além dos inúmeros atletas que participaram de Jogos Olímpicos, Jogos Pan-Americanos e outras competições, três convidados do jantar da Taça Olímpica fizeram com que a estrela tricolor brilhasse ainda mais.

O presidente da Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos Coaracy Nunes esteve presente na festa e falou da importância da Taça Olímpica para a candidatura brasileira aos Jogos Olímpicos de 2016.

"No momento em que o Brasil pleiteia realizar os Jogos Olímpicos aqui no Rio de Janeiro, um dos motivos de convencimento é que nós temos no Brasil o único clube da América Latina que tem a Taça Olímpica. É importante que isto seja divulgado porque ajuda muito para 2016. O Fluminense foi o primeiro clube a trazer a maioria dos esportes olímpicos para o Brasil. É pioneiro na atividade esportiva como um todo. A Taça Olímpica é um segundo nome do Fluminense Football Club", afirmou Nunes, que está há 20 anos à frente da CBDA.

O dirigente estava muito animado com as chances do Rio de Janeiro vir a ser a capital olímpica em 2016.

"Acho que temos chances. Temos quatro candidaturas, Madri, Tóquio, Chicago e Rio de Janeiro. Em Madrid, houve Barcelona em 1992 e Londres será sede em 2012. Em pouco mais de 20 anos serão três Olimpíadas na Europa. Já foram quatro Olimpíadas na Ásia. Chicago é uma candidatura forte, mas a crise financeira abate muito mais aos Estados Unidos. Parece que tudo conspira para o Rio de janeiro, além da crise ainda há esta gripe suína. Sem falar que há um movimento contra os Jogos Olímpicos em Chicago por causa da crise", disse.

 

A renomada crítica de teatro Bárbara Heliodora também compareceu à festa. Heliodora fez questão de citar suas raízes tricolores.

"Sou criada aqui, sou Fluminense, filha de tricolor. Cresci aqui na piscina, na esgrima. Para mim, o Fluminense sempre foi um lugar acolhedor, onde fiz amizades maravilhosas que duram até hoje. Aí vemos que o tempo passou. Encontramos as pessoas que trazem lembranças de um tempo maravilhoso", afirmou.

 

 

O medalhista olímpico Ciro Delgado, que conquistou a medalha de bronze na natação nos Jogos Olímpicos de Moscou, em 1980, mostrou seu amor ao tricolor.

"O Fluminense é um dos clubes que mais me mexe com o coração. Sempre teve grandes atletas. Comecei no Tijuca, fui convidado por outros clubes, mas decidi pela estrutura que tinha aqui. Foi um grande feito, tenho muito orgulho de ter sido nadador do clube"

Ciro, atual recordista mundial dos 100 metros livres na natação master, falou um pouco de sua emoção ao participar das Olimpíadas.

"Ir aos Jogos Olímpicos é o máximo, é a seleção dos grandes campeões do mundo. A partir do momento em que você consegue uma medalha, você se torna um contemplado do símbolo maior. Na minha época eram pouquíssimos que tinham. Quando entrei no refeitório da Vila Olímpica - você tinha que ir com a medalha no pescoço - os outros atletas começaram a bater os talheres na mesa, era um reconhecimento que se dava aos melhores", lembrou o nadador que ganhou o bronze com Djan Madruga, Marcus Mattioli e Jorge Fernandes no revezamento 4x200 metros livre, com o tempo de 7m30s10.


Rodrigo Stafford

 
Todos os Direitos Reservados © 2007 Diretora do Stand de Tiro do Fluminense Angelamaria Lachtermacher